Obra de Athos Bulcão em resumo no Recife 

Obra de Athos Bulcão em resumo no Recife 

A obra do artista que viveu e produziu entre as Artes Plásticas e a Arquitetura

   Com curadoria de Marcus de Lontra Costa, a exposição foi organizada em parceria com a Fundação Athos Bulcão e apresenta 40 obras. São azulejos, gravuras, serigrafias, vídeos, projetos, plantas, estudos, textos e material iconográfico num resumo de vida e obra do artista.  Visualmente conhecidas em inúmeros locais de grande circulação de pessoas, os mais de 200 murais, painéis e relevos criados por Bulcão fazem parte de um acervo popular como o Sambódromo carioca, a Embaixada do Brasil em Buenos Aires na Argentina e destaques localizados em Brasília como o Congresso Nacional, Aeroporto Internacional Presidente Juscelino Kubitscheck, a Rodoferroviária e a Igrejinha N. S. de Fátima. “Athos Bulcão contribuiu de forma decisiva para a história da arte brasileira e agrega valores internacionais na construção das questões vanguardistas do século XX. Considerado um dos mais expressivos artistas de sua geração, a exposição propõe o resgate de sua memória através de uma mostra abrangente e de qualidade relevante”, afirma o curador. 

 Athos Bulcão, painel, azulejos, Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, Brasília, Brasil

Athos Bulcão, painel, azulejos, Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, Brasília, Brasil

Detalhes em evidência

   Na poética de Athos Bulcão, os caminhos percorridos eram minimamente planejados. A mostra dividida em seis núcleos artísticos também inclui um grande mural de azulejos, acompanhado de seu projeto/planta e uma foto de sua aplicação no local de origem (construção/arquitetura), em conjunto com uma monumental instalação cenográfica da fachada do Teatro Nacional de Brasília, marco da arquitetura nacional e ícone da capital brasileira. Há ainda uma sessão dedicada exclusivamente à produção de gravuras e serigrafias, e a exibição de um vídeo-entrevista com o artista.

 Obra de Bulcão é destaque entre 146 pinturas e 17 esculturas no Palácio do Planalto, Brasil

Obra de Bulcão é destaque entre 146 pinturas e 17 esculturas no Palácio do Planalto, Brasil

Natureza aflorada

   Luz e formas geométricas inspiraram Athos Bulcão, que estreitou no conjunto de sua produção relações com a paisagem e com a natureza, como a incidência da luminosidade solar. Em seus azulejos, destacam-se, por exemplo, a modulação e o grafismo criados com base nas formas geométricas. Sua obra, inscrita em alguns dos principais edifícios modernos brasileiros, notabiliza-se pelo equilíbrio encontrado em seus passeios entre as Artes Plásticas e a Arquitetura. 

 Athos Bulcão, painel na Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil

Athos Bulcão, painel na Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil

Artes plásticas e Arquitetura 

   Athos Bulcão (1918-2008) nasceu no Rio de Janeiro e sempre teve incentivo no campo das artes. Em 1939, abandona a medicina para dedicar-se à pintura. Torna-se amigo de Burle Marx, Carlos Scliar e Enrico Bianco. Por Murilo Mendes, é apresentado ao casal Vieira da Silva e Arpad Szenas freqüentando o ateliê deles na década de 1940. Trabalha com Candido Portinari na construção do painel de São Francisco de Assis, na Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte. Sua primeira exposição individual ocorreu em 1944, na inauguração da sede do Instituto dos Arquitetos do Brasil. Entre 1948 e 1950, viveu em Paris com bolsa de estudos concedida pelo governo francês, passando por cursos de desenho na Académie de La Grande Chaumière e de litografia com Jean Pons. De volta ao Brasil, com os preparativos para a transferência da capital para Brasília, a convite do arquiteto Oscar Niemeyer, torna-se um dos principais artistas a desenvolver uma obra integrada à arquitetura. Trabalha em associação com Niemeyer e posteriormente com o arquiteto João Filgueiras Lima. Em 1971, de novo com Niemeyer, trabalha em projetos na França, Itália e Argélia.

 Athos Bulcão, painel da Sede da Editora Mondadori, Milão, Itália

Athos Bulcão, painel da Sede da Editora Mondadori, Milão, Itália

   Escultura, máscara, pintura, desenho, ilustração, figurino, fotomontagem, mural, azulejaria são explorados por Bulcão numa época de vanguarda modernista no Rio de Janeiro.  Em 1960, em Brasília, contribui com sua obra para a criação de um novo olhar sobre o espaço urbano, integrando Artes Plásticas e Arquitetura. Pelo conjunto de sua obra, Athos Bulcão recebeu vários prêmios e condecorações, como, em 1995, a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura  e o Diploma de Reconhecimento do Instituto dos Arquitetos do Brasil por sua obra em prol da arquitetura nacional. Em 1996, o artista ganhou o título de Cidadão Honorário de Brasília.

 Acervo pelo mundo: Athos Bulcão transitou entre as artes plásticas e a arquitetura 

Acervo pelo mundo: Athos Bulcão transitou entre as artes plásticas e a arquitetura 

“Athos Bulcão – Tradição e Modernidade”
Abertura: 21 de dezembro de 2017 (quinta-feira) às 19h, com visita guiada pelo curador
Abertura, dia 22 de dezembro de 2017 
Término, dias 28 de janeiro de 2018, às 17h 
CAIXA Cultural Recife
 Athos Bulcão (1918-2008) criou acervo público no Brasil e no exterior

Athos Bulcão (1918-2008) criou acervo público no Brasil e no exterior

MASP em 2018: histórias e narrativas afro-atlânticas

MASP em 2018: histórias e narrativas afro-atlânticas

Guarnieri muda de endereço em SP e faz coletiva

Guarnieri muda de endereço em SP e faz coletiva