Casa França-Brasil mostra obras da Edson Queiroz

Casa França-Brasil mostra obras da Edson Queiroz

Exposição “Viragens: arte brasileira em outros diálogos” reúne 43 grandes nomes

   Com curadoria de João Paulo Quintella, Laura Cosendey, Marcelo Campos e Pollyana Quintella, esta exposição faz uma leitura da Coleção da Fundação Edson Queiroz, que fica sediada na Universidade de Fortaleza (Unifor), no Ceará. O período das obras apresentadas é de 1913 aos anos 1980. E vale informar que a Coleção começou a ser construída há trinta anos e fica sediada na Universidade de Fortaleza, que é privada. Na imagem, Di Cavalcanti, Mulata com flores, 1959, técnica mista. 

Eichbauer

   Para adequar o volume de obras ao espaço da Casa, a exposição tem projeto expográfico assinado por Hélio Eichbauer que estudou arquitetura cênica em Praga com o célebre Josef Svoboda. O projeto de Eichbauer é fundamental para a ocupação do espaço da Casa que foi construída sob encomenda de D. João VI à Grandjean de Montigny, arquiteto da Missão Artística Francesa, em 1819. A Casa-França Brasil é o primeiro registro do estilo neoclássico no Rio de Janeiro.

Lasar Segall, Duas Amigas, 1913, pintura

Lasar Segall, Duas Amigas, 1913, pintura

Curadoria enxuta

   A exposição começa a partir da obra “Duas amigas”, pintura, de Lasar Segall, que está sendo apresentada pela primeira vez no Rio de Janeiro. Dividida em núcleos, a exposição segue apresentando a História até os anos 1980. Apesar do largo período, a curadoria não simplificou a abordagem e incluiu mais do que os Movimentos mais marcantes. Como explica o texto de apresentação, há “obras que se relacionam às discussões da forma, aos referenciais da cultura, aos interesses psicológicos e a outros atravessamentos possíveis. Observaremos não só a influência de um artista sobre seus sucessores, mas, antes, as evidências de que arte e sociedade são indissociáveis”.

Victor Brecheret, Virgem Oriental (Madonina), 1925, escultura

Victor Brecheret, Virgem Oriental (Madonina), 1925, escultura

Riqueza encadeada

   A exposição nos proporciona não apenas o conhecimento sobre os artistas envolvidos, mas apresenta os passos da História com cada um ao seu tempo colaborando com reflexões sobre temáticas sociais. São obras de Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Amilcar de Castro, Anita Malfatti, Antonio Bandeira, Antonio Gomide, Bruno Giorgi, Candido Portinari, Cícero Dias, Danilo Di Prete, Emiliano Di Cavalcanti, Ernesto de Fiori, Flávio de Carvalho, Frans Krajcberg, Franz Weissmann, Guignard, Hélio Oiticica, Hercules Barsotti, Hermelindo Fiaminghi, Iberê Camargo, Ione Saldanha, Ismael Nery, Ivan Serpa, José Pancetti, Judith Lauand, Lasar Segall, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Lygia Clark, Maria H. Vieira da Silva, Maria Leontina, Maria Martins, Maurício Nogueira de Lima, Milton Dacosta, Mira Schendel, Rubem Valentim, Samson Flexor, Sérgio Camargo, Sérvulo Esmeraldo, Tomie Ohtake, Vicente do Rego Monteiro, Victor Brecheret e Willys de Castro.

“Viragens: arte brasileira em outros diálogos”

Término dia 25 de junho de 2017, às 20h

Casa França-Brasil, Rio de Janeiro

“Odires Mlászho” reúne mais de 110 imagens de obras

“Odires Mlászho” reúne mais de 110 imagens de obras

Aos 90 anos de nascimento de Lygia Pape, Met Breuer exibe retrospectiva

Aos 90 anos de nascimento de Lygia Pape, Met Breuer exibe retrospectiva