Gabriela Gusmão mostra obras a partir da Itália

Gabriela Gusmão mostra obras a partir da Itália

“Extemporânea”, com curadoria de Caroline Koebel, explora um tempo passado que permanece presente

   A individual apresenta principalmente obras desenvolvidas pela artista a partir de sua experiência em dois períodos de residência na Scuola Internazionale di Grafica Venezia. O trabalho - imagem acima: Obra Matriz, 2015, fio de cobre sobre papel, 30,5 x 30,5 cm - se multiplicou na suíte “Madonna Extemporânea”. São 12 obras em papel, quatro em chapas de cobre e uma escultura em vidro murano. 

Matriz italiana

   Em sua primeira residência na Scuola Internazionale di Grafica, em 2012, Gabriela Gusmão trabalhou em processo fotográfico sobre chapa de cobre, criando a matriz que gerou as 16 monotipias da suíte "Segunda Deposição”. Nestas obras, Gabriela Gusmão faz uma releitura da famosa “Descida da Cruz”, cena que retrata o momento em que o corpo de Jesus é retirado da cruz. “Em meio a tantas cenas religiosas retratadas na História da Arte, repousa na minha inquietude sobre a imagem da cruz a que permanecemos atados”, diz a artista.  

Gabriela Gusmão, Êxtase, 2012, série Segunda Deposição, monotipia, 36 x 32 cm

Gabriela Gusmão, Êxtase, 2012, série Segunda Deposição, monotipia, 36 x 32 cm

   Nas monotipias, aparecem duas escadas, uma para cada milênio, um convite à libertação da culpa e do pecado. Se a série “Segunda Deposição” surge de um desejo de libertação simbólica, no vídeo “Sem pecado, sem culpa”, apresentado na exposição “Vírgula no Infinito”, no Museu de Arte Moderna, 2011, Gabriela Gusmão já revelava investigações sobre essa temática. E na série de monotipias, uma delas recebe o mesmo título do vídeo. 

Gabriela Gusmão, Sem Pecado Sem Culpa, 2012,série Segunda Deposição, monotipia,36x32 cm

Gabriela Gusmão, Sem Pecado Sem Culpa, 2012,série Segunda Deposição, monotipia,36x32 cm

   Os demais trabalhos apresentados na exposição são recentes: desenhos esculturais de fios de cobre sobre papel e uma instalação, também com fios de cobre, work in progress.

Manifesto extemporâneo

   Gabriela Gusmão explora a relação entre natureza, espaço urbano e a dimensão temporal. Vídeo, fotografia, escultura, desenho, gravura, performance e intervenções são os meios que utiliza para criar suas obras. No currículo, exposições nacionais e internacionais.

Gabriela Gusmão, Onda, 2012, série Segunda Deposição, monotipia, 36 x 32 cm

Gabriela Gusmão, Onda, 2012, série Segunda Deposição, monotipia, 36 x 32 cm

   Em 2013, com orientação da curadora Caroline Koebel, que desde então vem acompanhando o seu trabalho, Gabriela Gusmão desenvolveu tese sobre extemporaneidade em mestrado (master in fine arts em Berlim e Nova Iorque), que se inicia assim: “Alhures, em nosso interior, há silêncio. Um silêncio mais profundo do que a impossível ausência de som. Minha mente observadora busca a dimensão extemporânea e o encontro inefável com um lampejo de silêncio.”

   Vale registrar, ainda, que Gabriela recebeu, em 2016, o Prêmio Arte Monumento Brasil 2016 para realizar a escultura “Nova Chama” no espaço público de Nova Friburgo, na região serrana do Estado do Rio de Janeiro; e – como escritora – tem dois livros publicados: “Rua dos Inventos” e “Vírgula no Infinito”.

“Extemporânea”

Abertura dia 25 de março, às 17h

Término dia 29 de abril (sábado, por agendamento)

Galeria Oriente, Rio de Janeiro

Feira SP-Arte conquista o título de Festival

Feira SP-Arte conquista o título de Festival

Galeria virtual faz projeção presencial em 3D

Galeria virtual faz projeção presencial em 3D