Krajcberg no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Krajcberg no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Chegando a 51ª edição, o Festival promove mais, indo além do próprio Cinema

Em cartaz até dia 23 - com programação extensiva até o dia 27 de setembro, a essa edição chega para estreitar a interação entre público, cineastas e seus filmes. Sessões consagradas como a Mostra Competitiva e a Mostra Brasília (ambas com curtas e longas-metragens), o Festivalzinho (com filmes para as crianças), o FESTUNI (Festival Universitário do Cinema de Brasília) e as itinerantes Curta nas Escolas e Cine Voador já fazem parte do cardápio esperado pelos frequentadores do Festival, mas há muitas surpresas boas nas mostras especiais, como a exibição do filme de Regina Jehá sobre Frans Krajcberg (1921-2017) - ativista e artista plástico nascido na Polônia e naturalizado brasileiro, que notabilizou-se por denunciar a violência do homem contra a natureza.

 Frans Krajcberg, conjunto de esculturas, na 32ª Bienal Internacional de São Paulo em 2016

Frans Krajcberg, conjunto de esculturas, na 32ª Bienal Internacional de São Paulo em 2016

frans na bienal 32-2.jpg

Um filme memória

Frans Krajcberg se prepara para expôr o seu trabalho na Bienal de São Paulo enquanto desvela suas memórias e experiências de vida mais íntimas. Recentemente falecido, sua vida foi uma luta constante contra os absurdos da humanidade, desde as destruições da Segunda Guerra Mundial até as queimadas na floresta amazônica. Um retrato de um homem extraordinário, preso na história, engajado em sua arte e profundamente vivo para sempre.

Quem é a diretora

Cineasta e sócia-diretora da Lauper Films, Regina Jehá formou-se pela USP nos cursos de Ciências Sociais e Cinema. Especializou-se em documentário pela Universidade Paris VII Denis Diderot, cursando também a Résidence d’Écriture Documentaire, Ardèche Images em Lussas na França. Dirigiu Curumins & Cunhantãs (Berlinale, Visions du Réel e Oberhausen), Encanto (Nuevo Cine Latinoamericano, Clermont-Ferrand e Bilan du film Ethnographique), Expedição Viva Marajó (FIPA, Ischia e Fest Latino-Americano de SP), entre outros.

Nota de Regina Jehá

“Abordando os desastres provocados por uma negligente agenda do governo brasileiro para o meio-ambiente, o arte-ativista Frans Krajcberg clama contra as agressões à natureza brasileira. E propõe a necessidade de uma urgente mutação cognitiva e antropológica da humanidade, num Segundo Renascimento, para a sobrevivência da vida no planeta.“Frans Krajcberg: Manifesto" fala do caos conceitual na arte contemporânea, propondo um novo processo de apropriação da realidade ligado a um sentido especial da natureza. A narrativa segue as memórias e reflexões de Krajcberg, sem nenhuma linha cronológica. Estamos no reino da experiência interior do artista. O filme privilegia uma utilização inusitada de imagens de arquivo, integradas numa nova narrativa numa perspectiva íntima e pessoal, resultado de uma longa amizade entre entrevistadora e personagem.”

cartaz filme krajcberg.jpg

Quem fez o filme

Direção Regina Jehá
Produção Regina Jehá
Produção Executiva Domingas Person
Direção de Produção Márcia Beatriz Granero
Argumento Regina Jehá
Roteiro Regina Jehá
Montagem Yuri Amaral
Pesquisa de imagens Regina Jehá, André Bomfim, Isabela Motta
Direção de Fotografia Jean-Marc Ferrière, Jorge Maia
Som Direto Ricardo Nascimento e Tales Manfrinato
Edição de Som e Mixagem Dan Zimmerman
Produtora de ImpactoDomingas Person
Mídias Sociais Domingas Person
Produtor de Finalização Brunno Schiavon
Assistente de LançamentoSantiago Mazzoli
Companhia Produtora Lauper Films

Materiais de Arquivo

Vídeo O Poeta dos Vestígios
Filme Socorro Nobre
Produção Videofilmes
Direção Walter Salles
Fotografia e Câmera Walter Carvalho
Som Flavio Zangrandi, Joel da Silva
Filme Naturalismo Integral
Fotografia e Câmera André Palluch
Montagem Olívio Tavares de Araujo
Produção Denibela
Video Portrait d’une révolte
Produtora Mémoire Magnétique
Direção Maurice Dubroca
Produção Eric Darmon

 Frans Krajcberg em março de 1975

Frans Krajcberg em março de 1975

51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

De 14 a 27 de setembro de 2018, Brasília

Mosqueira quer Brasil Contemporâneo na ArtRio

Mosqueira quer Brasil Contemporâneo na ArtRio

Museu Nacional vive e integra a Primavera dos Museus

Museu Nacional vive e integra a Primavera dos Museus