Lucas Lenci lança livro “Movimento Estático” com tipos urbanos

Lucas Lenci lança livro “Movimento Estático” com tipos urbanos

Obra recente do paulistano é uma provocação às leis da Física com registros de construções em Amsterdã, Lisboa, Nova York, Paris, São Paulo e Vaticano 

As composições geométricas são apenas pretextos nesta série de fotografias de Lenci, que, pela primeira vez, destaca a presença das pessoas na sua obra. Tanto em “Desaudio”, quanto em “Homenini”, seus dois primeiros fotolivros, Lenci priorizou mais a paisagem do que a presença humana. Neste “Movimento Estático” ele aposta no inverso. “Depois de tanto contemplar a paisagem, comecei a me interessar pela figura humana”, diz o fotógrafo, que provoca a começar pelo título deste terceiro fotolivro, numa espécie de desafio às leis da Física, mas que nos remete ao princípio básico do congelamento do tempo permitido pela Fotografia e principalmente pela montagem digital. 

Inspiração no ambiente urbano 

Desde sua primeira individual, em 2009, Lucas Lenci tem construído carreira de sucesso como fotógrafo. Mas, não nega influências do avô, Peter Scheier (1908-1979). Scheier começou carreira como fotógrafo na década de 40 e registrou obras de Rino Levi e Oscar Niemeyer. Lenci revela atração pela construção de imagens através da montagem de fotos em composições que trabalham com linhas retas ou curvas e com o espaço preenchido ou vazio. Assim, ele passa perto também da quarta dimensão enunciada por Duchamp. E, apesar de reconhecermos os locais onde os registros foram feitos, como por exemplo alguns prédios de Museus, suas fotos parecem ter sido criadas em um cenário indefinido. 

“Movimento Estático”, editado por Estúdio Madalena, R$ 100 
Lançamento dia 6 de dezembro, às 19h 
Museu Brasileiro da Escultura, São Paulo
“Gerações MASC” recebe Giovana Zimermann

“Gerações MASC” recebe Giovana Zimermann

“Um retrato carioca do Design” apresenta novidades do Oitis 55

“Um retrato carioca do Design” apresenta novidades do Oitis 55