Luciana Caravello faz recorte com 50 recentes do acervo

Luciana Caravello faz recorte com 50 recentes do acervo

A galerista abre 2019 com exposição de obras recentes, apresentando várias técnicas

São cinquenta trabalhos que passeiam por diferentes técnicas e suportes. A seleção inclui pintura, gravura, escultura e fotografia. São obras de Afonso Tostes, Alexandre Sequeira, Almandrade, Gê Orthof, Gisele Camargo, Nazareno, Paula Trope e Ricardo Vila, entre outros. Na reprodução acima, obra de Pedro Varela, Brasas, da série Queimada, 2019, pintura, 230 x 25 cm.

Em “Universos Paralelos (Rio de Janeiro)”, 2018, de Marina Camargo, o desenho do mapa da cidade do Rio de Janeiro é colocado em uma caixa de luz, sendo parcialmente coberto por uma folha de acrílico com furos que mapeiam o céu, do hemisfério sul, no momento em que o trabalho foi feito.

Marina Camargo, Universos Paralelos (Rio de Janeiro), 2018, desenho em caixa de luz e acrílico

Marina Camargo, Universos Paralelos (Rio de Janeiro), 2018, desenho em caixa de luz e acrílico

Entre as obras selecionadas, está a escultura “Florida 266-267 (The World)”, 2018, de Daniel Escobar, em que o artista monta paisagens com recortes de guias de turismo que saltam aos olhos através de um relevo, à moda de pop-up, superando as fronteiras do volume impresso. Para Escobar, apesar da agenda do turismo, “a obra acaba criando um foco crítico em relação ao próprio sistema de arte e sua sintonização com a circulação de pessoas e produtos pelo mundo”.

Daniel Escobar, Florida 266-267 (The World), 2018, recorte sobre guia de turismo

Daniel Escobar, Florida 266-267 (The World), 2018, recorte sobre guia de turismo

“Brasas”, da série “Queimadas”, de Pedro Varela, 2019, traz imagens de queimadas, pintadas em acrílico sobre linho, em um conjunto de nove telas dispostas lado a lado.

Pedro Varela, Brasas, da série Queimada, 2019, pintura, 230 x 25 cm, detalhe

Pedro Varela, Brasas, da série Queimada, 2019, pintura, 230 x 25 cm, detalhe

Também fará parte da exposição uma escultura da série “Borda e Alegria” (2018), de Igor Vidor, em que o artista cria composições a partir de armações de pipas, vazadas, com seus respectivos padrões geométricos desenvolvidos em papéis de seda. A série faz parte de um levantamento sobre o desenvolvimento de padrões geométricos por artesãos e produtores de pipas.

Igor Vidor, Borda e Alegria 2018, madeira, papel seda e linha de algodão

Igor Vidor, Borda e Alegria 2018, madeira, papel seda e linha de algodão

A obra “Que valor tenho eu pra ti?” (2018), de Ivan Grilo, em bronze, faz parte da série “Escribe una Carta de Amor”, que recentemente passou a fazer parte da coleção do Pérez Art Museum Miami. A série fez parte do Solo Project 2018 do The55project, resultado de uma parceria entre o The55project, Mana Contemporary e Downtown Miami.

Ivan Grilo, Que valor tenho eu pra ti?, 2018, fundição em bronze

Ivan Grilo, Que valor tenho eu pra ti?, 2018, fundição em bronze

Acervo com 50 obras inéditas

Abertura, dia 04 de fevereiro de 2019, às 10h

Término em 09 de março de 2019

Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rio de Janeiro

Coletiva anual da C. reúne obras de dez artistas em "Serendipity"

Coletiva anual da C. reúne obras de dez artistas em "Serendipity"

"Olamapá", individual de Scherpenberg, resgata sentimentos

"Olamapá", individual de Scherpenberg, resgata sentimentos