Guarnieri muda de endereço em SP e faz coletiva

Guarnieri muda de endereço em SP e faz coletiva

Além do novo espaço físico ampliado, o galerista também anuncia a representação de Siron Franco no Estado de São Paulo 

   Trilhando o sucesso como galerista no Brasil, Marcelo Guarnieri, que esteve a frente do Museu de Arte de Ribeirão Preto na década de 2000, inaugura neste final de 2017 um novo espaço em São Paulo. São dois andares, desta vez com possibilidade de expor obras de acervo e exposições pontuais. Mas a grande novidade é o acerto de representação do talentoso Siron Franco no Brasil. No destaque, detalhe da obra de Pierre Verger, de 1938, que está reproduzida de forma integral ao final desta postagem.

Flávio Damm, Rua do Papel, Salvador, Bahia, 1966, gelatina e prata, 16,5 x 25 cm

Flávio Damm, Rua do Papel, Salvador, Bahia, 1966, gelatina e prata, 16,5 x 25 cm

Coletiva de inauguração

   O novo espaço físico da Galeria Marcelo Guranieri em São Paulo é aberto com uma coletiva de acervo, mas vale um destaque muito especial, pois reúne nomes de enorme importância para o cenário brasileiro como Flávio Damm, Sonia Andrade, Luiz Paulo Baravelli, Mariannita Luzzati, Masao Yamamoto, João Farkas, Edu Simões, Pierre Verger, Marcel Gautherot, Niobe Xandó, Marcus Vinicius, Liuba, Guto Lacaz, Gabriela Machado, Flavia Ribeiro, Ana Sario, Alice Shintani, Silvia Velludo e Fernando Vilela.

João Farkas, Mina de Carajás, Pará, 1989 - impressão a jato de tinta por pigmento sobre papel

João Farkas, Mina de Carajás, Pará, 1989 - impressão a jato de tinta por pigmento sobre papel

Representação 

   Marcelo Guarnieri vai representar o artista plástico Siron Franco em todo o Estado de São Paulo e planeja apresentar exposições simultâneas em diferentes pavimentos do novo endereço da Galeria em São Paulo.  

Gabriela Machado, Sem Título, 2017, óleo sobre tela, 15 x 20 cm

Gabriela Machado, Sem Título, 2017, óleo sobre tela, 15 x 20 cm

Acervo

Término dia 27 de janeiro de 2018

Galeria Marcelo Guarnieri, São Paulo

Pierre Verger, Djibouti, 1938, fotografia gelatina e prata, 26,5 x 26,5 cm 

Pierre Verger, Djibouti, 1938, fotografia gelatina e prata, 26,5 x 26,5 cm 

Mário Camargo reaproveita produção própria para o novo

Mário Camargo reaproveita produção própria para o novo