Aos 90 anos, Flavio-Shiró faz retrospectiva no Rio

Aos 90 anos, Flavio-Shiró faz retrospectiva no Rio

A exposição reúne obras desde 1942, filmes, objetos e fotografias num ensaio de 1968

Flavio-Shiró nasceu em 27 de agosto e está celebrando durante todo este ano 90 anos de idade. Depois de ser exibida em São Paulo, a exposição "Flavio-Shiró" desembarcou no Rio de Janeiro. Acima, detalhe da obra Sem Título, 2007, aquarela e fusian sobre papel, 32 x 24cm/ Foto de Jayme Acioli/divulgação.

 Flavio-Shiró, Hope, 2011

Flavio-Shiró, Hope, 2011

São pinturas, desenhos, fotografias e também o lançamento de um livro  “Flavio-Shiró” (Edições Pinakotheke, 216 páginas) com texto do crítico e curador de Arte Paulo Herkenhoff. "Trata-se de um artista polivalente e internacional, mas talvez coubesse melhor designá-lo como transcultural, pois a obra propõe a convivência do intercâmbio Ocidente/Oriente, Norte/Sul ou Sapporo/Tomé-Açu/Paris", escreve Herkenhoff.

 Flavio-Shiró, Apocalipse, 1966

Flavio-Shiró, Apocalipse, 1966

Com 26 pinturas, 12 obras sobre papel, além de fotografias, objetos pessoais e cinco curtas dirigidos por seu neto Adam Tanaka e Margaux Fitoussi e produção executiva de Josué Tanaka, filho do artista, a exposição faz um panorama da obra do artista.

flavio-shiro.jpg

Transcultural 

Paulo Herkenhoff passeia pela vida e obra de Flávio-Shiró e a cada página mergulhamos no universo do artista que nos brinda com obras que ultrapassam o fazer artístico, inserindo-se no momento histórico em que foram produzidas.

 Flavio-Shiró, Ser, 1962

Flavio-Shiró, Ser, 1962

"Um quadro de Shiró explodia como a convulsão da matéria do mundo na liberação daquilo que pareciam forças do caos; a massa pictórica incorpora-se em enervação, e a pintura é uma carnalidade vibrátil", destaca o crítico.

"A obra de Flavio-Shiró, neste período, não discute apenas a guerra do Vietnã, mas toda guerra" (...) "Pintar incluirá ativar a memória produtiva da fantasmática e deixá-la emergir perturbadora ao plano do visível" (...) "A isto, podemos chamar de arte como projeto de vida. Prossegue em sua trajetória e se depura como pintor sintético e denso. Seu imaginário pulsa pleno com o vigor da matéria e se move por vontade de experimentar ideias e por curiosidade técnica. Algumas questões plásticas têm envolvido a mente inquieta de Shiró: objetos; invenções; experiências com a xilogravura e a nova inflexão em sua pintura, com formas audaciosas", selecionamos em trechos de Herkenhoff no livro. 

 O artista fez ensaio fotográfico em maio 1968

O artista fez ensaio fotográfico em maio 1968

"Flávio-Shiró"

Abertura dia 24 de setembro de 2018, às 19h

Término dia 17 de novembro de 2018

Pinakotheke Rio de Janeiro

"Jean-Michel Basquiat" chega ao CCBB do Rio de Janeiro

"Jean-Michel Basquiat" chega ao CCBB do Rio de Janeiro

A proximidade das obras de Ione Saldanha às de Volpi

A proximidade das obras de Ione Saldanha às de Volpi