Reina Sofia expõe o pensamento de Mário Pedrosa

Reina Sofia expõe o pensamento de Mário Pedrosa

De forma inédita, a exposição traz a apresentação das linhas discursivas do brasileiro

   Mário Pedrosa (Pernambuco, 1900 / Rio de Janeiro, 1981), intelectual, exilado duas vezes, comprometido com o debate sobre o futuro da sociedade, tanto culturalmente quanto politicamente, é o tema da exposição "Da natureza afetiva da forma" que aborda suas linhas de pensamento nas artes plásticas. E em programa de visita, o Museu debate a conexão daqueles pensamentos à realidade atual visível. A mostra é segmentada de acordo com as áreas que Pedrosa desenvolveu, passando, por exemplo, por arte e política, subjetividade individual e visão moderna. Com curadoria de Gabriel Pérez-Barreiro e Michelle Sommer, a exposição integra o Projeto "Usa a arte" da Confederação Internacional dos Museus Europeus e é realizada com a colaboração da Embaixada do Brasil em Madrid e da Fundação Brasileira Cultural Hispânica. Na imagem acima, Mário Pedrosa na casa de Alberto Magnelli em Meudon na França em 1969 (mesmo ano em que o artista produziu a obra abaixo).

Alberto Magnelli, Composições, 1969

Alberto Magnelli, Composições, 1969

Formador da Cultura

   Mário Pedrosa foi parceiro na construção da cultura moderna no Brasil, contribuindo profundamente para a criação e consolidação de instituições de arte moderna. Atuou vigorosamente para o desenvolvimento de atividades como a Bienal de São Paulo da qual foi diretor e consultor em vários estágios. Além disso, promoveu encontros com artistas em seu apartamento no Rio de Janeiro, que se tornaram badalados no meio cultural e foram determinantes para a explosão de ideias que transformou a cena artística brasileira nos anos 1950. Por outro lado, seu ativismo político o levou duas vezes ao exílio, quando Pedrosa aproveitou para aprimorar-se, estreitar relacionamentos internacionais e retornar ao Brasil com uma bagagem inestimável que ele utilizou para desempenhar papel fundamental na restauração da democracia no País.

O apartamento de Pedrosa: ponto da Cultura no Rio de Janeiro, 1959 / Foto Luciano Martins

O apartamento de Pedrosa: ponto da Cultura no Rio de Janeiro, 1959 / Foto Luciano Martins

Obras analisadas por Pedrosa

   A seleção de obras de artistas que Pedrosa analisou articula diferentes áreas, permitindo visibilidade às questões que lhe interessavam. Estão as tendências dos anos 1950 (Milton Dacosta, Maria Leontina); a sociedade de consumo como um lugar de conflito (Rubens Gerchman, Antonio Dias), ou os autodidatas do neoconcretismo (Hélio Oiticica, Lygia Clark).

Arquitetura

   Devido ao intenso acervo de escritos de Mário Pedrosa sobre arquitetura e urbanismo e seu impacto na organização social, a curadoria incluiu nesta exposição o projeto carro-chefe da construção de Brasília - uma síntese de um plano modelo criado essencialmente para mostrar um desenvolvimentismo, com linguagem visual do construtivismo e de identidade nacionais combinados para projetar uma imagem de uma nação moderna.

Pedrosa escreveu intensamente sobre o Desenvolvimentismo / Foto Marcel Gautherot, Brasília

Pedrosa escreveu intensamente sobre o Desenvolvimentismo / Foto Marcel Gautherot, Brasília

Vida e obra

   Mário Pedrosa deixou um acervo de oito mil livros e periódicos sobre arte, filosofia, sociologia e política que registram seu trabalho como crítico de arte e ativista político que estão na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro-Brasil. Ele foi um dos mais importantes pensadores latino-americanos, tendo vivido 80 anos do século XX de forma comprometida com o debate público sobre o futuro da sociedade. Como crítico de arte, Pedrosa nunca deu prioridade a uma linguagem artística em detrimento de outra, mas tinha visão moderna a favor do não linear e por isso incluiu nas suas análises o que está na margem da sociedade, como os autodidatas com problemas mentais.

"Mário Pedrosa - Da natureza afetiva da forma"

Abertura dia 28

Término dia 16 de outubro de 2017

Edifício Sabatini, Piso 3, Museu Reina Sofia, Madrid, Espanha

MAM Rio inaugura espaço exclusivo para exibir acervo

MAM Rio inaugura espaço exclusivo para exibir acervo

Laís Ferreira lança "Canções do Porto e do Mar"

Laís Ferreira lança "Canções do Porto e do Mar"