Sergio Marimba lança linha “Mobiliário do Tempo”

Sergio Marimba lança linha “Mobiliário do Tempo”

Conjunto de peças transita entre o antigo e o novo, ganhando retoques modernos e ousados do artista autodidata

Não é um dia, uma semana ou alguns meses - são anos de garimpo em busca de itens belos e valiosos. Sergio Marimba os chama de “memorabilias” e os usa para criar novos objetos. Estas novas peças que surgem - compostas por alguns dos itens encontrados em feiras de antiguidades, antiquários, leilões e acervo de colecionadores – guardam uma história, absorvem todo o talento de Marimba e recebem a assinatura do reconhecido artista plástico e cenógrafo. Este é o projeto “Mobiliário do Tempo” que Marimba está lançando: promover a transformação de objetos antigos em peças para novos usos e significados. 

Sustentabilidade e ousadia 

As peças de Sergio Marimba circulam em setores como mobiliários, objetos decorativos, luminárias e assemblages. É um trabalho para quem preza pela criatividade, pelo design arrojado e pela sensibilidade artística do preservar, conservar, recriar, transformar, reciclar – fazer o novo como criatividade e sustentabilidade. Marimba não se intimida com o inusitado. Usa, por exemplo, um antigo basculante de madeira de demolição para criar uma mesa de centro, mas apenas isso poderia ser simples. Então, Marimba vai além e no lugar dos vidros do basculante, instala cachepôs para o uso de flores e objetos. Em outra peça, revitalizou uma antiga luminária de sala de cirurgia que ganhou led e se tornou uma luminária para outros tetos. 

Brincadeira com o tempo 

Esta não é a primeira vez que Sergio Marimba usa o tempo a seu favor. Se nesta nova linha de peças, aposta no reuso de antigos, em 2011, na exposição “Lembranças perdidas”, usou o tempo para construir novas peças. Eram 11 esculturas que precisavam da ação do tempo para serem concluídas. A intenção era que as fotos antigas de pessoas desconhecidas impressas em grandes chapas de aço oxidadas sofressem um rápido desgaste natural para mostrar o efeito do tempo. 

Criador de novidades 

Sergio Marimba é artista plástico e cenógrafo. Autodidata, iniciou sua carreira em 1982 no carnaval, desenvolvendo estruturas e esculturas 

em metal para alegorias e fantasias nas principais escolas de samba do Rio de Janeiro. Nas artes plásticas tem como matéria-prima essencial o ferro oxidado e materiais com histórias. Frequentou cursos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, participou de mostras individuais e coletivas. Em shows, filmes, eventos e especialmente no teatro, trabalhou na criação de cenografia com renomados diretores. Foi premiado com o Mambembe (1998) e o Rio Dança (1988). Em 1998, participou do Oerol Festival, na Holanda, como cenógrafo convidado da companhia de teatro Dogtroep. Em 2011, apresentou a exposição individual “Lembranças perdidas” na Caixa Cultural do Rio de Janeiro e de Brasília. No mesmo ano, recebeu a indicação de melhor cenário na 5ª edição do Prêmio APTR e o convite para representar o Brasil na Mostra Nacional da Quadrienal de Praga pela peça Mistério Bufo. Atualmente participou como cenógrafo dos DVDs de Morais Moreira, Alcione, Monobloco, Marcelo D2 E Pedro Luiz. 

Lançamento da linha “Mobiliário do Tempo” 
Dia 3 de dezembro, das 14h às 20h 
Ladeira Sousa Doca, 41, Rio Comprido, Rio de Janeiro 
Entrada franca, Valet park no local
Morre Ferreira Gullar, marco da cultura brasileira

Morre Ferreira Gullar, marco da cultura brasileira

O Design visto como um corportamento social

O Design visto como um corportamento social