CCBB apresenta “Cícero Dias – Um percurso poético”

CCBB apresenta “Cícero Dias – Um percurso poético”

Com curadoria de Denise Mattar e consultoria de Sylvia Dias, filha do artista, a exposição reúne 125 obras

“Na sua longa e prolífica carreira, Cícero Dias manteve, como poucos, a fidelidade a si próprio. Sempre foi inteiramente livre, ousando fazer o que lhe dava vontade, sem medo das críticas”, afirma a curadora Denise Mattar. A exposição apresenta conjunto da obra de Cícero Dias (1907-2003), contextualizando sua história e evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros e sua participação no circuito de arte europeu. 

Trajetória e amizades

Cícero Dias nasceu em Pernambuco e ao longo de sua carreira travou conhecimentos em diversas cidades nos setores culturais. Essa exposição, além das obras, apresenta cartas, textos e fotos desses relacionamentos que Cícero Dias cultivou ao longo da vida. São registros do artista com nomes como Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego, Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Éluard, Roland Penrose, Pablo Picasso e Alexander Calder, entre outros.

Resumo de vida e obra

Nascido em Escada, na Zona da Mata, Pernambuco, Cícero Dias foi o sétimo dos onze filhos do casal Pedro dos Santos Dias e Maria Gentil de Barros Dias, e passou a infância num engenho. Em 1920, com treze anos, chegou no Rio de Janeiro. Aos 18 anos, conheceu os Modernistas e começou a estudr Pintura. Logo depois, em 1927, realizou sua primeira individual. Em 1937, participou de uma coletiva em Nova York e foi a Paris, onde fixou residência, aproximando-se do Surrealismo. Na década de 1940, foi premiado no Salão de Arte Moderna de Lisboa (1943), participou do grupo dos Abstratos em Paris, expôs em Londres e em Amsterdam e participou da Arte Mural. Em 1950, integrou a Bienal de Veneza. Em 1965, ganhou retrospectiva na Bienal de Veneza. Nas décadas de 1970 e 1980, realizou individuais pelo Brasil. Em 2000, projetou uma praça que foi inaugurada em Recife. Em 2002, lançou livro sobre sua trajetória. Faleceu em 28 de janeiro de 2003, em sua residência na Rue Long Champ, Paris. O Pintor morreu rodeado por sua esposa Raymonde, sua filha Sylvia e seus dois netos. Encontra-se sepultado no cemitério Montparnasse, centro de Paris.

Montagem em núcleos

"Cícero Dias - Um percurso poético" apresenta 125 obras divididas em três núcleos principais: "Brasil", "Europa" e "Monsieur Dias – Uma vida em Paris". E nestes, há complementos importantes para o conhecimento da vida e obra do artista, como “Memórias – Cícero e seus amigos”.  

Itinerância

Depois de Brasília, esta exposição vai ser exibida em São Paulo de 21 de abril a 10 de julho; e seguirá para o Rio de Janeiro, onde ficará em cartaz de 1 de agosto a 25 de setembro.

"Cícero Dias – Um percurso poético"
Abertura dia 7, às 20h
Término dia 3 de abril, 21h
Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília
 
Coloridas e inéditas de Robert Capa

Coloridas e inéditas de Robert Capa

Mostra percorre História da Direção de Arte no Brasil

Mostra percorre História da Direção de Arte no Brasil