Véio faz primeira individual em Galeria no Rio de Janeiro

Véio faz primeira individual em Galeria no Rio de Janeiro

Esculturas fascinantes produzidas a partir de troncos e raízes do agreste na Gustavo Rebello

   Com curadoria de Ronaldo Brito,  "Véio | De Surpresa no Mundo", apresenta obras de Cícero Alves dos Santos, conhecido no meio artístico como Véio. O artista seleciona troncos e raízes diretamente no agreste nordestino e combina aspectos da tradicional arte popular brasileira com o aproveitamento dessa madeira. Mas, o principal diferencial das esculturas de Véio é a pintura com cores fortes. O resultado é algo pop, com um toque particular no processo criativo desenvolvido pelo artista a partir do seu imaginário e da sua cultura. Geralmente, ele vê animais, músicos, pessoas comuns. Na imagem acima, escultura de Véio.

A força das cores

   “A nenhum texto crítico, ainda que curto e despretensioso, seria perdoável calar-se diante do pequeno escândalo que representa a cor na escultura de Véio. E não apenas porque se mostram cores abertas, sem nuances ou matizes, extrovertidas e vibrantes, aptas a competir com a luz brutal do sertão. Mesmo o seu negro parece suscetível de brilhar no escuro. O importante é que atuam de maneira substantiva na definição do corpo da escultura, caracterizam a sua personalidade. Intuitivamente, Véio faria um uso topológico da cor. Elas promovem a interação entre as partes das peças de modo a torná-las um Todo descontínuo moderno. As esculturas não se resumem a simples figuras projetadas contra um fundo neutro. Elas reagem a seu entorno, acontecem no mundo”, analisa o curador da exposição, Ronaldo Brito.

Véio, escultura

Véio, escultura

Sucesso internacional

   Véio nasceu e ainda vive em Nossa Senhora da Glória, cidade do sertão de Sergipe, Nordeste do Brasil, que tem aproximadamente 50 mil habitantes e uma feira popular. Véio vem construído trajetória sólida, expondo em diversas outras cidades do mundo e participando de importantes eventos de Arte. No currículo, há mostras individuais em São Paulo, Londres e Paris. Em 2015, esteve na “Becoming Marni”, paralela da 56º Bienal de Veneza, na Abadia de São Gregório; e na  Bienal do Mercosul, Porto Alegre. Participou de coletivas no MAR, MAM Rio e Paço Imperial. Suas obras estão em importantes acervos como o da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu AfroBrasil, MAR, MAM Rio, Sesc e Fundação Cartier na França.

Véio, escultura

Véio, escultura

Obra fascinante

   Véio chega agora para uma primeira individual no Rio de Janeiro em galeria comercial, mas possui relacionamento com lojas especializadas na cidade e há sete anos estrelou uma mostra no Museu Edison Carneiro/Ministério da Cultura. "Quando a Vilma Eid, da Galeria Estação, sondou-me a respeito de uma mostra do trabalho do Véio, minha resposta afirmativa foi imediata. A obra do artista sempre me fascinou, pois dialoga com as questões da arte brasileira atual, não fica restrito ao rótulo de arte ingênua e popular, transcende”, analisa o galerista, Gustavo Rebello.

"Véio | De Surpresa no Mundo" 

Abertura dia 25 de abril, às 18h

Término dia 26 de maio de 2017, às 20h

Gustavo Rebello Arte, Rio de Janeiro

Laís Ferreira lança "Canções do Porto e do Mar"

Laís Ferreira lança "Canções do Porto e do Mar"

Teresinha Soares inaugura eixo sobre Sexualidade no MASP

Teresinha Soares inaugura eixo sobre Sexualidade no MASP